Psicóloga Gizelle Schmitt - Psicologia Itajaí - Avalliare - WhatsApp 47 98400-0012
Reflexões sobre a sexualidade masculina
05/02/2021 11:21

Reflexões sobre a sexualidade masculina

Nas últimas décadas o homem passou a sofrer com exigências diferentes das que tinha em séculos passados, porém mantendo ainda dentro de si a postura de provedor e de forte, vivenciando muitas cobranças, tanto dos outros, como de si mesmo.

O cenário de hoje é cada vez mais homens com um desempenho sexual insatisfatório, fruto das muitas expectativas, muitas delas irreais. É notável que essas expectativas em relação aos homens se maximizaram com o passar dos anos, sendo eles ainda pressionados a desempenhar os mesmos papéis de séculos passados, junto a novos requisitos: ser o “amante” ideal, que não falha e que tudo sabe, que está sempre "pronto" e disponível para o sexo, exigindo desse homem um alto padrão de desempenho.

A cultura machista perpetua ainda na sociedade, com a ideia do homem como uma máquina, viril e corajoso, que não tem sentimentos, que não pode demonstrar insegurança, nem cansaço, muito menos negar fazer sexo. A preocupação com a performance sexual é tanta que algo que deveria ser prazeroso tem o sofrimento como seu sinônimo.

Todas essas mudanças e novas configurações da sociedade ocasionam conflitos psicológicos e problemáticas na esfera sexual masculina, fazendo com que a experiência sexual seja vivida, por alguns homens, com muita pressão e desconforto, junto à falta de conhecimento de si e dos aspectos da própria sexualidade, que podem favorecer o desenvolvimento de disfunções sexuais, como, por exemplo, a disfunção erétil.

O sofrimento diante de uma queixa sexual é imenso, gera vergonha e medo do julgamento, sendo que muitos ainda deixam de buscar ajuda por não acreditarem mais na melhora.

Há também aqueles que se sentem envergonhados e constrangidos a procurar ajuda fazendo com que demorem a buscar tratamento. Alguns nem compartilham com a parceria e acreditam que devem resolver o problema sozinhos e então sofrem em silêncio. Quando buscam ajuda profissional, em geral, já sofreram por muito tempo.

O resultado de todas essas pressões externas e internas repercute no estado emocional do homem, tendo a sua satisfação pessoal, sua autoestima e qualidade de vida afetadas, tornando o objetivo de uma vida sexual plena muitas vezes difícil de ser alcançado. Em contrapartida, o sexo vivenciado sem pressão contribui para a qualidade de vida dos homens e permite que se sintam vivos, com a autoestima e a autoconfiança elevadas nas mais diversas áreas da vida e no desempenho dos seus mais variados papéis na sociedade.

Um ponto positivo que percebo na minha prática clínica é que a procura de homens por ajuda psicológica tem aumentado consideravelmente com o passar dos anos. Eles têm buscado conhecer mais sobre suas emoções, buscado entender seus comportamentos e obter conhecimento a respeito da própria sexualidade, o que representa um salto muito importante na busca de uma vivência mais saudável e prazerosa na esfera sexual.