Psicóloga Gizelle Schmitt - Psicologia Itajaí - Avalliare - WhatsApp 47 98400-0012
O luto diante do término de um relacionamento amoroso
17/12/2020 15:46

O luto diante do término de um relacionamento amoroso

Você sabia que o término de um relacionamento amoroso também é considerado um luto?

Luto se refere a todo tipo de perda que o ser humano enfrenta.

A perda de determinadas pessoas e relacionamentos faz parte da vida de todos nós, seja por distanciamento de amizades, de mudança de emprego, da saída dos filhos de casa, colocando as pessoas diante do luto, da mesma maneira que ocorre no luto diante da morte de um ente querido. Porém, a dor de um rompimento amoroso ou um divórcio é extremamente difícil, pois havia um forte investimento e envolvimento emocional entre as pessoas.

Apesar de ter se tornado algo tão frequente, a dissolução amorosa e o divórcio não se tornaram mais fáceis para quem vivencia. É uma dor imensa, como se um pedaço de si tivesse ido embora. Algumas pessoas experimentam uma espécie de perda da identidade com a sensação de estranhamento em relação a elas mesmas, fazendo com que tenham de se conhecer e redescobrir como um ser individual.

É comum, diante de um rompimento amoroso, sensações e sentimentos como: medo da mudança, da solidão, da dificuldade financeira, da sensação de perda da segurança e da sensação de proteção que existia quando era uma pessoa comprometida amorosamente. É frequente também que as pessoas sintam um vazio, angústia, dificuldade para dormir e se alimentar, dificuldade de concentração no trabalho, ansiedade, raiva, culpa, dentre outros. Alguns também têm reações físicas como: dores de cabeça, agitação/inquietação, sensação de aperto no peito, alterações gastrointestinais, etc.

O rompimento de uma relação amorosa causa imenso estresse, exigindo que a pessoa reorganize sua vida, seus projetos, com a necessidade de adaptação também à probabilidade de contato com o ex parceiro por muitos anos (para aqueles que tiveram filhos ou que possuem empresa juntos). Assim, o término de um relacionamento costuma ser tão difícil de elaboração e fechamento quanto a perda por morte, já que na perda por morte não houve uma escolha.

O ser humano enfrenta grande dificuldade de lidar com a separação e a perda. O fato de o rompimento de vínculo ter sido uma escolha, diferente da morte, traz consigo, além da saudade, um sentimento de rejeição e de abandono. A aceitação costuma ser pior quando a separação se dá de forma repentina, tornando o processo de aceitação mais difícil, já que o sofrimento decorre da perda de alguém que não morreu e que pode ser visto e encontrado a qualquer momento.

Os rompimentos amorosos são perdas muito frequentes e pouco faladas em relação ao processo de luto envolvido. Apesar de a separação ser algo tão comum na sociedade atual, ela ainda é vista como um fracasso e, raramente, a dissolução da união é feita em comum acordo e sem grandes repercussões.

O luto, pela Psicologia, não é considerado uma doença, mas pode ser facilmente confundido com um transtorno de ansiedade ou um transtorno depressivo, por exemplo, se não for bem investigado e avaliado. Por isso, ao buscar atendimento médico ou psicológico, informe antes que está passando por um término e/ou divórcio, para que o profissional da saúde possa avaliar adequadamente.