Psicóloga Gizelle Schmitt - Psicologia Itajaí - Avalliare - WhatsApp 47 98400-0012
A imensa dor diante da morte de um ente querido
16/02/2020 18:00

A imensa dor diante da morte de um ente querido

Perder alguém por morte é algo extremamente doloroso. Costumo comparar com uma ferida no corpo, que vai aos poucos sendo curada e cicatrizada, porém, caso não tenhamos o devido cuidado, podem haver complicações que atrasarão o processo de cura ou até agravarão o machucado. Com o luto não é diferente, pois ao perder um ente querido, abre-se uma ferida existencial que é extremamente dolorosa e que exige tempo para ser processada.

Embora cada pessoa vivencie de uma maneira, diante da perda de alguém, grande parte das pessoas experimentam diversas reações, como: tristeza, choque, vergonha, desespero, solidão, irritabilidade, nó na garganta, descrença, ansiedade, medo, negação, desorientação, culpa, perda ou aumento da fé, raiva, isolamento, dificuldade de concentração, entre outras. Junto a esses sintomas, aparecem reações físicas, como visão borrada, coração acelerado, boca seca, falta de ar, fraqueza muscular, falta de energia, alterações no sono e no apetite, inquietação, dores de cabeça, aperto no peito, alterações gastrointestinais, entre outras.

É importante tomar cuidado para que não se confunda esses sintomas com um transtorno depressivo ou um transtorno de ansiedade, pois devido aos sintomas, pode-se confundir. Esse cuidado é essencial para não caracterizar como transtorno mental algo que faz parte do processo natural diante de um luto.

Retomar as atividades diárias pode parecer muito difícil e até impossível, mas é importante tentar fazer algumas tarefas cotidianas, se alimentar com coisas saudáveis e buscar uma atividade física. Também é necessário evitar o álcool, cigarro ou qualquer outra droga, comer demais e fazer compras em excesso como formas de tentar alívio para o sofrimento. É importantíssimo também não se isolar, ou seja, ficar próximo de pessoas que transmitam conforto e segurança. Algumas formas de relaxamento, meditação e atividades de lazer devem ser realizadas sem culpa, e costumam ajudar muito!

Quando lidar com esses sentimentos diversos fica difícil de ser administrado e quando há muita há dificuldade na retomada da rotina e até mesmo coisas simples de fazer se tornam extremamente complexas, é necessário buscar ajuda profissional, para que o luto seja elaborado e finalizado.

Na Psicologia, quando falamos em elaborar a perda de alguém não significa esquecer ou aceitar definitivamente a morte do ente querido, mas conseguir encontrar meios de seguir com a vida. Um indicativo de luto finalizado é quando a pessoa consegue pensar e falar do falecido sem dor e quando se interessa novamente pela vida, tendo esperança e se adaptando aos papéis que o outro desempenhava.

A perda de uma pessoa especial e importante na nossa vida é algo que jamais será esquecido, mas é preciso que se entenda que é possível suportar e superar tudo isso. Para te ajudar com isso, conte com o apoio de pessoas próximas, fale sobre os seus sentimentos, não pense que vai incomodar alguém falando sobre suas dores ou trazendo sempre o mesmo assunto. Fale sempre, o máximo que puder, e aceite o apoio e acolhimento dos outros. Se tudo isso ficar difícil demais, não hesite em buscar ajuda profissional!